Home Empresa Produtos Receitas Gastronomia Serviços Cadastre-se aqui Fale Conosco

 

Cozinha Mexicana e Cozinha Tex-Mex
Dicas e Curiosidades
Informações Nutricionais
Validade, Conservação e Manuseio dos Produtos Villa Buena
 
Voltar
Cozinha Tex-Mex

A gastronomia Tex-Mex é basicamente, como o próprio nome sugere, uma fusão da cultura culinária do povo mexicano e estadunidense, ainda que, grande parte dos ingredientes empregados, sejam comuns em ambas.

Origem do Nome 

A denominação “Tex-Mex” surgiu no idioma inglês como apelido da companhia ferroviária “Texas-Mexican Railway”, fundada no ano de 1875. As programações das saídas e chegadas dos trens se publicavam nos jornais americanos do ano de 1800. Nessa publicação abreviavam-se os nomes das comphanias ferroviárias encarregadas do trajeto. No caso da companhia Tex-Mexican era abreviado como Tex-Mex, passando a ser usual o emprego do termo nas denominações que envolviam os dois povos.

As missões jesuíticas e a influência espanhola

Na época das missões espanholas do século XVI e XVII, os alimentos da cozinha espanhola e da cozinha dos americanos nativos do Texas se mesclaram em uma fusão de tradições culinárias que se propagou pela  “Nova Espanha”. A influência espanhola na cozinha do Texas iniciou-se com a chegada de Don Juan Oñate  acompanhado de 600 colonos e 7000 cabeças de gado em El Paso em 20 de abril de 1598.  A cozinha que hoje em dia podemos denominar Tex-Mex originou-se de uma mescla da comida do povo nativo do Texas e da cozinha espanhola do século XVI. Os nativos americanos contribuíram para comida Tex-Mex incluindo las pacanas, las judías pintas, los nopales, las cebollas, el mesquite. 
   
Os colononizadores procedentes das ilhas Canárias também fizeram importantes contribuições para o início da culinária Tex-Mex. As famílias de colonos que imigraram para San Antonio das Canárias através do convite da coroa espanhola em 1731, foram autorizadas a levar pessoas da Etnia Bereber do Norte de África que influenciaram ainda mais a alimentação da região do Texas. Influenciando o gosto pelo cominho, pimenta e coentro que contribuíram para construir o próprio estilo tex-mex que difere muito dos gostos de cozinha mexicana do interior.

Influências posteriores 

 A cozinha Tex-Mex foi sofrendo posteriormente, influências das populações antigas do México. A cultura de "Rancho" existente ao sul do Texas e ao norte do México, promoveu em grande parte, esta fusão. Logo se mesclou o gosto pelo cabrito assado, churrasco, carne seca e outros produtos de carne de vaca, que tornaram-se comuns em ambos os lados do Rio Bravo. Ao longo do século XX a cozinha Tex-Mex introduziu elementos americanos como o uso de queijo amarelo fundido, certamente, mais barato e facilmente disponível.

Autoridade na alimentação americana,  Dianna Kenedy, foi a primeira a traçar fronteiras entre o que se considera cozinha mexicana e a comida mexicana americanizada no seu livro de 1972: The Cuisines of Mexico.

A primeira referência impressa sobre a cozinha “Tex-Mex” aparece no diário Mexico City News no ano 1973. Alguns estudiosos da comida texana como Robb Walsh atualizaram os estudos de Kenedy relacionando a evolução da comida “Tex-Mex” a períodos sócio-políticos.

No Brasil, as pessoas de modo geral, usualmente se referem como comida mexicana, é na realidade  a comida tipicamente Tex-Mex.

 Ingredientes

Se empregam tanto os ingredientes habituais da comida mexicana, como outros desconhecidos dessa. A cozinha Tex-Mex se caracteriza pelo uso abundante de carne (especialmente a de vaca), feijões, especiarias, as tortilhas ao estilo mexicano (de farina de trigo ou milho), fritas ou ao forno. Tortilhas chips (nachos) com salsas picantes (servidas como aperitivo), Tacos Shell, Chili com queijo, Chili com carne, Fajitas etc,  são invenções da cozinha Tex-Mex. 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

Preparo